Organic foods: Consumer habits and commercialization strategies in Sorocaba in the state of São Paulo, Brazil

Keywords: Organic street fairs, Short circuits, Solidary consumption

Abstract

Despite the growth of the organic food market in Brazil, these foods remain restricted to a minor part of the population. In this scenario, the short circuits are presented as an alternative to the predominant food distribution model, which is characterized by impersonality and long distances. This paper aims to analyze the motivation of the organic products consumers and this market in Sorocaba (in the state of São Paulo). For this purpose, two methodological procedures were used: an online survey (quantitative approach) and semi-structured interviews (qualitative approach). As results, the consumers habits revealed two different positions: an appreciation of practicality and a search for diversity, both in products and in ways of purchasing them. Because of these choices the consumers alternate between short and long circuits possibilities.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Rodrigo Brezolin Buquera, Universidade Estadual de São Paulo, Piracicaba

Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2007- 2012).Mestre em Agroecologia e Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal de São Carlos (2013 - 2015). Atualmente doutorando no Programa de Ecologia Aplicada na ESALQ/USP.

Paulo Eduardo Moruzzi Marques, Universidade Estadual de São Paulo, Piracicaba

Graduação em engenharia agronômica pela Universidade de São Paulo (1985), mestrado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1996), doutorado em Sociologia (études des sociétés latino-américaines), no Institut des Hautes Etudes de l'Amérique Latine, la Sorbonne nouvelle, Paris III (2002), pós-doutorado em Sociologia no Laboratoire Dynamiques Sociales et Recomposition des Espaces (LADYSS), na França (2013) e livre-docência em Sociologia na Universidade de São Paulo (2014). Atualmente, é professor associado de Sociologia na Universidade de São Paulo (com ênfase em Sociologia Rural). Desenvolve seus trabalhos principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar, desenvolvimento rural, alternativas agrícolas, políticas públicas e participação social. Atua no Programa de Pós-Graduação Interunidades (CENA-ESALQ) em Ecologia Aplicada, da USP em sua área de ambiente e sociedade. Coordena notadamente no âmbito deste programa o grupo de pesquisa em agriculturas alternativas (AGREMAL), inscrito no Diretório do CNPq.

Fernando Silveira Franco, Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba

Engenheiro Florestal, formado na Universidade Federal de Viçosa, MG, Doutorado em Ciencia Florestal, UFV, na Área de Sistemas Agroflorestais, na Agricultura Familiar. Membro da diretoria da Ass. Bras. de Agric. Biodinâmica e da Ass. Bras. de Agroecologia. Professor Associado na UFSCAR – Campus Sorocaba, nos cursos de Engenharia Florestal, Biologia e Pós Graduação em Agroecologia. Coordenador do Núcleo de Agroecologia Apetê-Caapuã, desenvolvendo trabalhos de pesquisa participativa, extensão agroecológica e apoio a processos organizativos visando restauração florestal na região de Sorocaba, tendo os sistemas agroflorestais biodinâmicos como foco.

References

AGOVINO, M.; CROCIATA, A.; QUAGLIONE, D.; SACCO, P.; SARRA, A. Good Taste Tastes Good. Cultural Capital as a Determinant of Organic Food Purchase by Italian Consumers: Evidence and Policy Implications. Ecological Economics, v. 14, p. 66–75, 2017. https://doi.org/10.1016/j.ecolecon.2017.05.029

ANDRADE, L. M. S.; BERTOLDI, M. C. Atitudes e motivações em relação ao consumo de alimentos orgânicos em Belo Horizonte - MG. Braz. J. Food Technol., v. IV SSA, p. 31–40, 2012. https://doi.org/10.1590/S1981-67232012005000034

BARBOSA, S. C.; MATTEUCII, M. B. A.; LEANDRO, W. M.; LEITE, A. F.; CAVALCANTE, E. L. S.; ALMEIDA, G. Q. E. Perfil do consumidor e oscilações de preços de produtos agroecológicos. Pesq. Agropec. Trop., v. 41, n. 4, p. 602–609, 2011. https://doi.org/10.5216/pat.v41i4.11854

BRASIL. Lei nº 10.831, 23 de dezembro 2003. Dispõe sobre a agricultura orgânica e dá outras providências. Brasília, DF, 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.831.htm>. Acessado em: 10 out 2019.

BOIZOT-SZANTAI, C.; HAMZA, O.; SOLER, L., Organic consumption and diet choice: An analysis based on food purchase data in France. Appetite, v. 117, p. 17–28, 2017. https://doi.org/10.1016/j.appet.2017.06.003

CHEKIMA, B.; CHEKIMA, K.; CHEKIMA, K. Understanding factors underlying actual consumption of organic food: The moderating effect of future orientation. Food Quality and Preference, v. 74, p. 49–58, 2019. https://doi.org/10.1016/j.foodqual.2018.12.010

ORGANIS. CONSELHO BRASILEIRO DA PRODUÇÃO ORGÂNICA & SUSTENTÁVEL. Panorama do consumo de orgânicos no Brasil 2019. Disponível em: <http://organis.org.br/>. Acessado em: 01 nov 2019.

DAROLT, M. R.; LAMINE, C.; BRANDEMBURG, A. A. diversidade dos circuitos curtos de alimentos ecológicos: ensinamentos do caso brasileiro e francês. Agriculturas. v. 10, n. 2, 2013.

DEMIRTAS, B. Assessment of the impacts of the consumers’ awareness of organic food on consumption behavior. Food Science and Technology v. 39, n. 4 p. 881-888, 2018. https://doi.org/10.1590/fst.10518

FONTANELLA, B. J. B.; LUCHESI, B. M.; SAIDEL, M. G. B.; RICAS, J.; TURATO, E. R.; MELO, D. G. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, p. 389-394, 2011.

FREITAS H.; OLIVEIRA, M.; SACCOL, A. Z.; MOSCAROLA, J. O método de pesquisa survey. Revista de Administração, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 105-112, 2000.

GAZOLLA, M. Cadeias curtas agroalimentares na agroindústria familiar: dinâmicas e atores sociais envolvidos. In: GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. Porto Alegre/RS: Editora da UFRGS, 2017. 520p.

GONÇALVES, J.; MASCARENHAS, T. As várias faces do sistema alimentar e a experiência da rede brasileira de grupos de consumo responsável. In: GONÇALVES, J.; MASCARENHAS, T. (org.). Consumo Responsável em ação: Tecendo relações solidárias entre o campo e a cidade. 1ª Ed. Instituto Kairós, São Paulo/SP, 2017. 218p.

HANSEN, T.; SØRENSEN, M. I.; ERIKSEN, M. R. How the interplay between consumer motivations and values influences organic food identity and behavior. Food Policy, v. 74, p. 39–52, 2018. https://doi.org/10.1016/j.foodpol.2017.11.003

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTICA. Município de Sorocaba, 2018. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/> Acessado em 08 abr 2018.

JUNQUEIRA, A. H.; MORETTI, S. L. A. Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA): tecnologia social de venda direta de alimentos e de revalorização das identidades alimentares territoriais. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 26, n. 3, p. 517-538, 2018. https://doi.org/10.36920/esa-v26n3-2.

NIERDELE, P. A.; MARQUES, F. C. Produção ecológica de alimentos e mudanças institucionais: implicações para a construção de novos mercados. In: MARQUES, F. C.; CONTERATO, M. A.; SCHNEIDER, S. Construção de Mercados e Agricultura Familiar. 1. ed. Editora da UFRGS, 2016. 416p.

PEREIRA, M. C.; MULLER, C. R.; RODRIGUES, F. S. A.; MOUTINHO, A. B. A.; RODRIGUES, K. L.; BOTELHO, F. T. Mudança no perfil sociodemográfico de consumidores de produtos orgânicos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 9, p. 2797–2804, 2015. https://doi.org/10.1590/1413-81232015209.12002014

RANA, J.; PAUL, J. Consumer behavior and purchase intention for organic food: A review and research agenda. Journal of Retailing and Consumer Services, v. 38, p. 157–165, 2017. https://doi.org/10.1016/j.jretconser.2017.06.004

RETIERE, M. Alimentos sem veneno são sempre mais caros? Uma pesquisa da rede Brasileira de grupos de consumo Responsável. In: GONÇALVES J.; MASCARENHAS T. (org.). Consumo Responsável em ação: Tecendo relações solidárias entre o campo e a cidade. 1ª Ed. Instituto Kairós, São Paulo/SP, 2017. 218p.

SANTOS, M.; GLASS, V. (org.). Altas do agronegócio: fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos. Fundação Heinrich Böll. Rio de Janeiro, 2018. 60p.

SCHNEIDER, S; GAZOLLA, M. Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. In: GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. Porto Alegre/RS: Editora da UFRGS, 2017. 520p.

SINGH, A.; VERMA, P. Factors influencing Indian consumers’ actual buying behaviour towards organic food products. Journal of Cleaner Production, v. 167, p. 473 - 483, 2017. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2017.08.106

TORUNSKY, F. Justificativas em torna das Comunidades que Sustentam a Agricultura: um estudo de caso da CSA São Carlos/SP. Dissertação de Mestrado, ESALQ/USP, Piracicaba, 2019, 137p.

Published
2022-01-01
How to Cite
BUQUERA, R. B.; MARQUES, P. E. M.; FRANCO, F. S. Organic foods: Consumer habits and commercialization strategies in Sorocaba in the state of São Paulo, Brazil. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 17, n. 1, p. 51 - 59, 1 Jan. 2022.
Section
INTERDISCIPLINARY